AVAGroup TAAG Virtual / SonAir Virtual

Se voar esta no seu sangue. Aqui e o seu grupo. Quer trocar ideias com o pessoal? Expor as screenshots dos seus voos, debates e matérias interessantes todas as semanas? Então participe do nosso fórum.


    TAAG Virtual Classic

    Compartilhe
    avatar
    AVG158

    Mensagens : 43
    Data de inscrição : 02/08/2009
    Idade : 34

    TAAG Virtual Classic

    Mensagem  AVG158 em Dom Ago 09, 2009 8:44 pm

    Meus caros, nos estamos muito acostumados a ver avioes no Flight Simulator dos que voamos hoje, como o 737-200/700 o 747-300 e o 777-200. Depois de uma conversa com o AVG166 achei por bem abrir este topico para podermos expor tambem coisas que nao sao do nosso tempo, porque e sempre bom relembrar.
    Entao vamos a isso, quem tiver imagens e historias a compartilhar da TAAG Classica (Antiga) sintam-se avontade.

    Abracos


    _________________
    Leandro Pompilio - Vice PCA - Instrutor Chefe TAAG Virtual / SonAir Virtual

    I Remember When Sex Was Safe, And Flying Was Dangerous
    avatar
    AVG102

    Mensagens : 154
    Data de inscrição : 02/08/2009
    Idade : 33
    Localização : Luanda

    TAAG - O Inicio.

    Mensagem  AVG102 em Seg Ago 10, 2009 6:31 pm

    Bela iniciativa Leoadas. Nao basta realmente estamos aqui a voar TAAG Virtual, quando nao sabemos a estoria da nossa vertente real. Ora entao, ca vamos:

    Parte 1

    O TRANSPORTE AÉREO EM ANGOLA - DO PASSADO AO PRESENTE

    O transporte aéreo constitui um suporte essencial das economias nacionais, sendo um dos grandes veículos do comércio internacional e um dos principais elos de ligação entre as diferentes regiões de um país ou entre este e os outros países do mundo.

    A Republica de Angola possui uma companhia nacional de bandeira, a TAAG – Linhas Aéreas de Angola, propriedade exclusiva do governo angolano. Baseada em Luanda, para além dos voos internos, tem ligações para diversas cidades da África, Europa e América.

    Factos marcantes na História da TAAG

    A história da TAAG começa a aproximadamente, 70 anos, quando é fundada a DTA, em 1938, tendo evoluído desde então através de diversas entidades.

    De facto, em Angola, o transporte aéreo começa a dar os seus primeiros passos no século passado, tendo sido precedido de algumas experiências interessantes.

    É a 17 de Setembro de 1918 que desembarcam no Porto do Namibe (então Mossamedes) os primeiros aviões CAUDRON G-3 para a”Esquadrilha Expedicionária do Lubango”, que viria a ser extinta em 1926, por falta de fundos.

    Com a primeira viagem de ligação entre Portugal e as Colónias Africanas (Angola, Moçambique, Guiné-Bissao e S. Tomé), em que dois aviões percorreram 17 400 kms em 94 horas de voo, gera-se um grande entusiasmo em relação à Aviação Civil, no então espaço português. Assim, em 1930, o recém fundado Aero Clube de Angola inicia a sua actividade com o primeiro avião comprado graças a uma subscrição feita pelo jornal “A Província de Angola”.

    Verdadeiramente o início do transporte aéreo tem início no ano de 1938. Com efeito, a 8 de Setembro deste ano, é assinada em Lisboa, a Portaria Ministerial nº 11 que cria a Divisão de Exploração de Transportes Aéreos (DTA), integrada nos Serviços de Portos, Caminhos-de-Ferro e Transportes de Angola. Para o efeito tiveram lugar actividades preparatórias que consistiram no contacto com os fabricantes de aeronaves; na formação dos primeiros técnicos na Inglaterra, Holanda e Alemanha (pilotos, mecânicos e rádio-telegrafistas); na preparação e beneficiação da pista dos “campos de aviação” existentes e na construção, em Luanda, das instalações aeroportuárias necessárias.

    Em 17 de Julho de 1940, realizam-se as primeiras carreiras regulares com as designadas Linha do Norte (Luanda/Pointe Noire), Linha do Sul Luanda/Lobito/Mossamedes) e a Linha do Leste (Luanda/Lobito/NovaLisboa).

    A primeira frota é constituída por três Haviland DH-89, os “Dragon Rapide”, com capacidade para oito passageiros e uma velocidade de cruzeiro de cerca de 200km/hora. A DTA possuía também 2 pequenos monomotores para fretamentos.

    Após a segunda Guerra Mundial, tal como as demais companhias, a DTA compra dos excedentes de guerra americanos, os primeiros Douglas DC-3 “DAKOTA”. Estes operaram em Angola, em serviços comerciais, sem parar, de 1946 a 1975. Tinham capacidade para 28 passageiros e atingiam a velocidade de 320 kms por hora. A DTA chegou a ter oito DC-3. Um outro operador, a CTA, possuía também três DC-3.

    Com a criação da IATA – Associação Internacional dos Transportes Aéreos, em 1951, a DTA é filiada na organização com o número 118, que, até aos dias de hoje, constitui o indicativo de numeração dos Bilhetes de Passagem da TAAG.

    Em 1962, foram comprados os primeiros Fokker F-27 Friendship. A capacidade destas aeronaves é de 40/44 Passageiros e com uma velocidade de cruzeiro de 430 km/hora.

    De 1962 a 1996, as operações foram efectuadas com oito Friendships.

    Em 1973, a DTA operava para 26 cidades angolanas e duas no exterior (S.Tomé e Windoek).

    Neste mesmo ano evolui para Empresa de capital misto, passando a chamar-se TAAG - Transportes Aéreos de Angola, S.A.R.L., com capital maioritário do Governo, 30% da TAP e o restante repartido por empresas privadas. As rotas Luanda-Lisboa-Luanda e as ligações a Maputo, Beira e Salisbury (hoje Harare) são efectuadas em exclusivo monopólio pela TAP.

    Depois trago a parte 2 e 3.

    Fonte: www.taag.aero


    _________________
    Nuno Sousa - PCA AVAGroup TAAG Virtual / SonAir Virual.

    Arte de Saber voar é um prodigio.
    avatar
    AVG102

    Mensagens : 154
    Data de inscrição : 02/08/2009
    Idade : 33
    Localização : Luanda

    Re: TAAG Virtual Classic

    Mensagem  AVG102 em Ter Ago 11, 2009 7:11 pm

    PARTE 2

    Início da Era Jacto

    Ao longo da sua história, a TAAG utilizou um vasto leque de aeronaves para a realização das missões definidas pelo modelo de negócios, sujeito a constantes mudanças. Na actual fase moderna, a Boeing tem merecido, ao longo dos anos, a preferência da companhia.

    Com efeito, a era jacto tem início em 1973 com a aquisição de dois B737-200, que seriam entregues em 1976. A primeira destas aeronaves chega a Angola a 3 de Março. No total a TAAG adquiriu oito destas unidades.

    Quatro anos mais tarde, em 1977, a TAAG adquire três B707 à companhia britânica British Caledonian. Posteriormente foram comprados mais dois à TAP.

    Com a aquisição destas aeronaves, inicia-se o rápido crescimento da TAAG. As estatísticas são suficientemente elucidativas. Em 1977 a TAAG transporta 230.000 passageiros em voos domésticos, atingindo no ano seguinte os 795.947. Nos voos internacionais, no mesmo período, o número de transportados é de 130.838. São transportados também 43.095 toneladas de carga e correio num ano. As aeronaves da TAAG voam 31.852 horas, percorrendo 18 milhões de quilómetros.

    Ainda em 1977 são adquiridos pelo governo diversos aviões de fabrico russo para as duas companhias nacionais. A TAAG fica com quatro YAK-40 e a CTA com quatro Antonov AN-26. O Yak-40 tinha a capacidade de 32 lugares e a velocidade de 600kms por hora.

    A 13 de Fevereiro de 1980 é publicado no Diário da República o Decreto nº 15/90 que cria a Empresa Linhas Aéreas de Angola, UEE, abreviadamente designada por TAAG, que continua a tradição da DTA.

    Em 1986 a TAAG transporta um milhão de passageiros. A queda brusca dos preços do petróleo e o agravamento da situação político-militar no País exigem da Empresa esforços para que não estava dimensionada nem preparada. A paralisação quase absoluta dos transportes rodoviários e aéreos forçam a TAAG a suprir as dificuldades de transportes voando entre as principais cidades com ocupações raramente abaixo dos 100% da oferta. Durante anos a TAAG foi o único elo de ligação entre as cidades do País.

    Dez anos depois, em 1990 para substituir os B707, é introduzido o Lockheed L-l011 Tristar, num aluguer de longa duração à TAP. Este tem a capacidade de 250 Passageiros com uma velocidade de 900kms por hora. Neste ano, a TAAG transporta 700 mil passageiros e cerca de 60 toneladas de carga e correio.

    A partir de 1991, a TAAG desdobra-se em duas novas empresas autónomas: uma vocacionada para voos charter de carga e passageiros, a Angola – Air Charter, e outra, operadora de pequenos aviões de passageiros, para o serviço de táxi-aéreo e multi-propósito a operar em voos especializados de desinfestação, combate a incêndios, etc. – a Sociedade de Aviação Ligeira, S.A.R.L. assegurando um serviço de qualidade aos seus passageiros.

    A 20 de Março de 1993 é aberta a Linha de Harare, Zimbabwe. A linha de Joanesburgo é aberta em 1994. No ano seguinte é reaberta a linha de Lusaka.

    Em 1996, um B747-300, em versão Combi, a que se deu o nome de “Cidade do Kuito” em homenagem ao povo mártir daquela cidade, substitui o L-101.

    Às 11 horas e 11 minutos do dia 11 de Novembro de 2006, em que Angola comemorava 31 anos de Independência, a TAAG e a cidade de Luanda receberam 5 novos aviões, sendo três Boeing 737-700NG (baptizados de Calandula, Tundavala e Maiombe) e dois Boeing777-200E (baptizados de “11 de Novembro” e Cuito Cuanavale).

    A este evento fica também ligado o records dos B777-200ER, em que o voo inaugural levou 16 horas e 40 segundos, sem reabastecimento entre a cidade de Seattle nos estados Unidos e Luanda em Angola. Esta performance fica registada na história da aviação civil Mundial. Foi batido também o record da entrega por um fabricante de aeronaves de cinco aeronaves novas de uma só vez.

    A estes factos estão ligados os Comandantes angolanos do B777-200ER: José Maria Dionísio, Osvaldo Mendes, Horácio Júnior e José Luís Prata. No B737-700: os Comandantes Araújo de Vasconcelos, Hélder Ramos, Rui Tavares, António Bezerra, João Macedo e Fernando Ramos.

    Em Março de 2007 é entregue o quarto B737-700NG, designado Luena. Em Agosto de 2008 é entregue o terceiro B777-200ER.

    Os modernos B737-700NG da TAAG, destinados ao transporte de passageiros, comportam 120 lugares, sendo 12 na classe executiva e 108 na classe turística.

    Os aviões 777-200ER têm capacidade para transportar 255 passageiros distribuídos por três classes: 14 em primeira classe, 51 em executiva e 190 em classe turística. Estes aviões 777-200ER dispõem de áreas para repouso dos tripulantes, permitindo aos tripulantes de cabine e aos pilotos repousar em privado, afastado dos passageiros e sem ocupar lugares geradores de receitas. A zona superior, reservada para descanso da tripulação, está dotada de cadeiras e camas, uma característica dos aviões Boeing 777 que possuem um perfil transversal mais largo e mais alto, comparando com as aeronaves concorrentes desta classe.

    Os logótipos também têm sofrido alterações, com a mudança de designações.

    O logótipo inicial foi mudado em 1962 com a introdução dos F-27, assim como em 1973 quando se transformou em Empresa e passou a chamar-se Transportes Aéreos de Angola. Em 1976, com a introdução dos B737 sofre uma nova alteração, que se mantém até aos nossos dias.

    Recorde-se que, em 1974 havia mais de vinte Aeroclubes em Angola que visavam a formação de pilotos, “Baptismos do Ar”; tratamento de “Asma” (?); transporte por fretamento para viagens de negócios, passeio ou emergências.


    Em outro dia coloco a PARTE 3.

    Abraco,
    NS Very Happy


    _________________
    Nuno Sousa - PCA AVAGroup TAAG Virtual / SonAir Virual.

    Arte de Saber voar é um prodigio.
    avatar
    AVG102

    Mensagens : 154
    Data de inscrição : 02/08/2009
    Idade : 33
    Localização : Luanda

    Re: TAAG Virtual Classic

    Mensagem  AVG102 em Seg Ago 24, 2009 8:35 pm

    A TAAG hoje

    Actualmente, a TAAG está a desenvolver, uma estratégia de crescimento global e competitivo que tem contribuído, de forma significativa, para a reconstrução das infra-estruturas angolanas devastadas pela guerra, apoiar a recuperação económica do país e, assim, garantir a continuidade da ilustre história desta companhia aérea, contando para o efeito com uma frota da TAAG, constituída fundamentalmente por aviões da Nova Geração que têm servido satisfatoriamente a companhia.

    É ponto assente que o desenvolvimento económico em África está ligado a manutenção de uma transportadora aérea nacional viável, moderna e eficiente. Nesta perspectiva, os voos regulares semanais da TAAG cobrem inúmeras rotas, incluindo voos internacionais, regionais e domésticos.
    A TAAG faz parte do sistema GRABRIEL II de reservas internacionais e possui o sistema automático de controlo de partidas, que garante ao passageiro segurança, fiabilidade e conforto no atendimento, quando vai cumprir as formalidades do Check-In.

    Os passageiros que viajam com a TAAG, famosa pelo distintivo logótipo estilizado da “Palanca Negra”, um antílope raro que existe apenas em Angola e que, em determinada altura, se receava estar extinto, estão a beneficiar da introdução da venda e emissão electrónica de bilhetes, de um sistema de reservas melhorado e de um programa recentemente instituído de fidelização de clientes. É um esforço de modernização que se reflecte em todas as áreas da companhia, nomeadamente: reservas, check-in e serviço de bordo.

    Dada a extensão do território, o transporte aéreo em Angola é chamado para garantir a circulação de pessoas e bens e contribuir, deste modo, para viabilizar os vários projectos de desenvolvimento em curso.

    A TAAG, na qualidade de companhia de bandeira, apesar de todas as vicissitudes a que tem estado sujeita, tem desenvolvido a sua actividade de modo ininterrupto, ao longo de mais de trinta anos de Angola como nação independente e soberana.

    Nos últimos seis anos, em particular, com o processo de consolidação da Paz e com as elevadas taxas de crescimento económico que lhe estão associadas, a evolução do transporte aéreo dentro e de/para Angola – pelo menos na sua componente regular – foi afectada de forma bastante positiva, como sucedeu, aliás, em muitos outros ramos da indústria, bem como no domínio do comércio e no da prestação de serviços, em geral.

    Apesar das restrições conhecidas impostas à TAAG, o total de Passageiros, transportados em todos os serviços regulares teve um aumento superior a 50%, nos últimos cinco anos.
    A TAAG aumentou o número de voos para alguns destinos em franca ascensão (Lisboa, Rio de Janeiro, Johannesburg, Windhoek e Kinshasa) e a expansão para outros destinos tais como: Bangui, Addis Ababa, Douala, na África Central e Oriental e pretende utilizar os 777-200ER no desenvolvimento de novos serviços com destino à Ásia e América, no âmbito da expansão da sua rede, constituindo a rota do Dubai, um caso exemplar de sucesso.

    Diferentes áreas fulcrais estão a beneficiar de modernização através de um sistema integrado de gestão, de modo a permitir a gestão financeira e de recursos humanos de forma mais eficiente. Tem-se dado também um grande ênfase à formação de técnicos, localmente e no exterior, para as áreas técnicas e operacionais; tem havido também um grande esforço de investimento nas áreas de informática e comunicações.

    Assim, 70 anos depois, a Companhia continua com uma grande vitalidade e pujança, bem como com uma grande esperança num futuro melhor.

    -----------------

    E assim terminei com este post o estorico da TAAG.

    Font: www.taag.aero pagina: http://www.taag.aero/index.php?option=com_content&view=article&id=79&Itemid=59&lang=pt

    Espero que tenham gostado. Very Happy

    Abraco,
    NS


    _________________
    Nuno Sousa - PCA AVAGroup TAAG Virtual / SonAir Virual.

    Arte de Saber voar é um prodigio.

    Conteúdo patrocinado

    Re: TAAG Virtual Classic

    Mensagem  Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Seg Dez 11, 2017 9:50 pm